Snoopy evitara a academia de magia em Edron após sua experiência como caçadora de espíritos com Spectulus. Ele a ofereceu um trabalho e ela o recusou, o que deixou a garota imersa em culpa e preocupada se o ancião havia deixado de gostar dela. Depois de um tempo, Snoopy começou a sentir saudades. Então, um dia, decidiu ir ao seu encontro de novo, e ficou aliviada ao ver que Spectulus parecia feliz em vê-la. Ele até pediu a ajuda da garota em um assunto delicado…

Ele contou sobre seu antigo estagiário, Jack; Spectulus explicou que ele e Jack vinham trabalhando em um dispositivo para transportar alguém a um ponto específico no tempo. A máquina pareceu funcionar quando Jack a utilizara, desaparecendo no ar depois que Spectulus percebera que ambos se esqueceram de incluir um painel de controle na máquina para permitir que Jack retornasse. Após um tempo de pesquisa, Spectulus ficara convencido de que seu antigo estagiário não viajara ao futuro como previamente planejado, mas para outra dimensão. Isso levou o ancião a ter uma ideia para ajudar Jack a voltar e era nisso que ele esperava contar com a ajuda de Snoopy Moopy.

Enquanto ouvia a estória, Snoopy tinha muitas dúvidas sobre a veracidade dela. No entanto, sendo grata por Spectulus recebe-la novamente, e também por ela ter percebido que significava muito para seu amigo, quis ajudar. Além disso, não podia negar que estava de fato curiosa sobre essa teoria de ‘dimensão paralela’, que soava muito intrigante.

Spectulus então explicou: “Estamos atualmente em um ponto específico do tempo; vamos chamar de Ponto Zero às 12h em ponto. Enquanto o tempo flui, posso soltar meu lápis no chão – e o fluxo de tempo e a cadeia de eventos ligados a ele irão na direção do Ponto Um que leva às 12h01 em ponto com o lápis caído. Agora, voltemos ao Ponto Zero; eu poderia ter simplesmente colocando-o em meu bolso – o fluxo dos eventos agora segue em ‘outra’ direção, que seria o Ponto Dois, que leva às 12h01 em ponto onde eu nunca deixei cair meu lápis. Agora, imagine que ‘ambas’ as direções temporais existem – mas, você sabe de apenas uma das cadeias de eventos que aconteceu, que é aquela onde meu lápis caiu. Essa é a ‘sua’ dimensão, aquela à qual você está presa. Uma dimensão ‘paralela’ é aquela na qual haveria a cadeia de eventos indo na direção do Ponto Dois, onde o lápis fora posto em meu bolso. Agora, imagine que há uma infinita quantidade de Pontos Zero, talvez às 12h e um segundo, ou às 12h e dois segundos, onde o tempo em cada uma pode pegar qualquer direção possível e provavelmente impossível. E, independente da direção que uma cadeia de eventos possa ter, sempre haverá uma infinidade de pontos no tempo na qual novos eventos podem pegar direções completamente distintas, criando, assim, dimensões temporais completamente diferentes.”

Snoopy estava estupefata; aquilo era difícil de imaginar. Apesar de tudo, decidiu confiar em Spectulus a despeito de suas dúvidas. Toda a vez que ele falava de Jack, ela pensava em quão mal ele estava em ter mandado seu estagiário para essa outra dimensão e, consequentemente, arruinado sua vida. A moça sentiu-se até honrada que Spectulus confiara a ela sua essa estória de fracasso tão pessoal; dessa forma, jurou que faria seu melhor para trazer Jack de volta.

Spectulus continuou a explicar que a dobra temporal que eles causaram durante o experimento afetara o ancoramento dimensional de Jack, levando-o a uma dimensão diferente. Spectulus estava certo de que seria possível desfazer isso e trazer seu estagiário de volta ao seu antigo eu. Primeiramente, no entanto, eles teriam que descobrir quem Jack se tornara por conta de seu ancoramento dimensional diferente. Através de suas observações, Spectulus encontrara uma pessoa chamada Jack que poderia ser seu antigo estagiário, e sugeriu que Snoopy fosse falar com ele. O Jack que ele tinha em mente vivia em Stonehome, assim como Snoopy e Spectulus esperava que tal fato fizesse da conversação deles mais fácil.

Snoopy então saiu das torres de marfim para interceder por Spectulus; ao longo do caminho inteiro ela ficou pensando como teria sido possível Jack viver em Stonehome durante todo esse tempo, mas em uma dimensão diferente dessa; ela não fora capaz de seguir a linha argumentativa de Spectulus. Quando ela chegou à sua casa, Jack estava resmungando sobre limpeza, como de costume. A moça pensou que talvez a obsessão de seu vizinho em ter a casa limpa fosse um sinal de que algo estava errado com ele, pois sempre lhe parecera um pouco estranho. Ela o interrompeu com um cumprimento amigável. No entanto, Jack não estava disposto a falar. Confrontado com a estória de Spectulus, ele rapidamente pediu a Snoopy que se retirasse e ela retornou à academia, desapontada.

Spectulus, por sua vez, teve uma ideia. Ele pensou que um gatilho talvez pudesse fazer Jack lembrar-se de seu antigo eu: “A primeira coisa que deveríamos fazer é mudar seu ambiente para algo mais… familiar. Assim que ele tiver as coisas que costumava ter ao seu redor, suas memórias voltarão.”. Ele pensou por bastante tempo… “Sei que ele costumava ter uma cadeira vermelha almofadada muito confortável e um globo antigo que ficava no meio da sala. Ele também tinha um telescópio pequeno e uma ânfora extremamente grande em um canto. E… também tinha outra coisa… um cavalo de pau. Ele o adorava!”. Spectulus mandou Snoopy sair para decorar a casa de Jack com tais itens, e ambos tinham grandes esperanças que isso funcionaria e ajudaria Jack a se lembrar…

Para a surpresa de Snoopy, Jack a deixara colocar todas essas coisas em sua casa. Reconhecidamente sob muitos protestos, mas ela pode finalizar o trabalho. Entretanto, quando disse que havia sido tudo ideia de Spectulus, ele replicou: “Então se ele acha que eu sou alguém que ele conhecia e que está agora ‘perdido’ e precisa voltar ou coisa assim – diga a ele que está ERRADO! Eu sempre vivi aqui com minha mãe e minha irmã! Eu estou feliz aqui e certamente não quero ir para essa academia de vocês!”.

Novamente desapontada, ela reportou a Spectulus a reação de Jack, esperando que seu amigo ficasse também desesperado. Porém, não foi o caso; Spectulus estava surpreso em saber que Jack estava vivendo com sua mãe e sua irmã, e esse novo fato deu-lhe uma nova ideia. Ele pediu a Snoopy que contasse à família de Jack sobre sua vida em outra dimensão.

Ela fez como pedido, mas não sentiu-se bem com isso. Sentia como se tivesse passado dos limites uma vez mais e começou a ter dúvidas sobre a missão como um todo. Por outro lado, ela queria ajudar Jack a ter sua vida antiga de volta e queria ajudar Spectulus, pois confiava nele. Ele era inteligente e um cientista. Quem era ela para duvidar de suas palavras? Tudo daria certo… e eles teriam sucesso.

Spectulues também estava certo de que triunfariam; ele explicou que Jack teria que ser convencido agora de que tudo que ele estava fazendo até hoje não bateria com seu verdadeiro eu. Quando ele perguntou se Snoopy talvez tivesse pegado em algo em particular que ligaria Jack ao espaço em que ele estava, ela lembrou que sua irmã mencionara uma escultura misteriosa que ela de fato vira o rapaz trabalhar nela. Dessa vez, ela é quem teve uma ideia… pegou uma picareta e voltou à casa de Jack; antes que ele pudesse pará-la, ela pegou a ferramenta de sua mochila e atacou a escultura quase finalizada.

“O que você fez com a minha ESCULTURA?! Você simplesmente a DESTRUIU? Por que? Você… você arruinou tudo… minha casa, meu hobby, minha vida… Minha família até mesmo se recusa a falar comigo agora!”

Ela ficou parada ali, surpresa e sem palavras com as suas próprias ações; ela começou a sentir-se cheia de dúvidas de novo. O que havia dado nela? Não parecia ser do seu feitio! Ela sentiu-se horrível com o que havia feito, mas então Jack disse: “Certo, certo, você venceu. Eu estou acabado. Você… você deve estar certa, sim. Sim, eu estava trabalhando como estagiário… na academia em Edron… sim… só… diga a esse Spectulus que eu quero vê-lo. Eu não tenho mais nada. Estou pronto.”.

Quase não confiando em sua audição, Snoopy percebeu que havia conseguido! Ela convencera Jack! Empolgada, ela correu de volta às torres de marfim, orgulhosa e feliz que fora capaz de trazer boas notícias ao seu amigo…

…Ele, no entanto, estava subitamente em um humor completamente diferente. Pesarosamente, ele disse: “Ótimo trabalho. De verdade! Agora… o problema é que… o Jack verdadeiro escreveu.”. Confusa, Snoopy ficou de queixo caído. “Não, não, espera. Acalme-se primeiro.”. Spectulus falou. “Você se lembra de mim explicando a dobra temporal, que causou uma pequenina perturbação no infinito? Bom, como eu já te contei, Jack não foi de fato transportado para o futuro… Mas sim para o passado. Eu recebi uma espécie de carta essa manhã que havia sido guardada para mim pela Academia por cerca de 70 anos. Ela dizia que deveria ter sido aberta em um dia específico a 20 anos atrás para impedir esse incidente todo mas eu sequer estava na Academia naquela época. Alguém acabou de encontrar essa carta hoje mais cedo e trouxe-a à minha atenção. Então, o nosso Jack aqui era de fato uma pessoa completamente diferente.”.

Ela encarou Spectulus absurdada e quieta; a culpa começou a consumi-la, pensando sobre Jack, que havia vivido pacificamente a sua vida. Por causa dela, ele agora estava em dúvida sobre sua própria existência, e isso devia ser algo horrível. Snoopy percebeu que ela manipulara e destruíra a vida de um homem; ela interferiu com coisas que não eram da conta dela de forma alguma. Ela sentiu-se péssima e furiosa consigo mesma e com Spectulus também; ela não queria acreditar que tudo isso havia sido um erro. Não podia ser!

Imediatamente, ela sentiu a necessidade de desculpar-se com Jack; ela mal podia sustentar toda a vergonha que estava sentindo. Sua esperança era que ele e sua família pudessem perdoá-la. E, naturalmente, ela queria compensá-lo pela escultura destruída, que era o mínimo que poderia fazer. Ela pediu a Spectulus para acompanhá-la, mas ele se recusou. Porém, ele entregou a ela um pedaço de mármore para dar a Jack como substituto para a escultura que estava toda quebrada.

Quando ela chegou à casa de Jack com seus ombros baixos e lágrimas em seus olhos, ele e sua família a ouviram, acreditaram que suas intenções haviam sido boas e aceitaram, no fim, suas desculpas; Jack estava aliviado que sua vida não havia sido uma mentira, e sequer estava com raiva da escultura arruinada. Ele aceitou a peça nova de mármore e disse que gostaria da chance de um novo começo. Para a sorte de Snoopy, ele não estava satisfeito com o trabalho anterior.

Dessa forma, tudo terminou bem. Considerando os eventos, e lembrando todas as dúvidas que ela tivera ao longo do dia, Snoopy fez uma nota para si mesma para que no futuro confiasse mais em seus instintos. Às vezes, cientistas também erram, e ela também deveria lembrar que há coisas que não são de sua conta. Logo, ela decidiu não se preocupar mais sobre o estagiário que Spectulus mandara para o passado. Esse era problema dele, e não dela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Favor comente aqui!
Favor insira seu nome aqui