Observação importante: tudo que for dito aqui é baseado em um testserver. Não vou citar problemas com bugs simples e coisas que claramente ainda estão em desenvolvimento. O jogo pode (e deve) mudar e ser melhorado com atualizações futuras.

Bloodstone: The Ancient Curse é um MMORPG brasileiro desenvolvido pelo estúdio Streamy. Ele tem gráficos na perspectiva isométrica em 45º, no mesmo estilo do Tibia. Conta com uma equipe de 8 pessoas, sendo uma delas o ex-top-level-BR, “Tripida“. O jogo atingiu popularidade na BGS de 2015, onde uma demo jogável foi mostrada pro público, mas está sendo criado desde 2013. Atualmente quase todo mês acontece um test-server, e o lançamento deve acontecer em breve. Consegui jogar por boas horas no TS de maio, em personagens de duas classes diferentes, e trago aqui um resumo da minha experiência e do que achei do jogo.


GRÁFICOS

Tá aqui o ponto alto do jogo. Não da pra negar, Bloodstone é um jogo bonito. Graficamente falando foi tudo bem trabalhado. Os jogadores, monstros e até NPCs tem animações enquanto estão parados (idle) ou em batalha. Também é possível personalizar as cores do seu personagem – inclusive o tom de pele (da pra fazer um Mago Negro negro ou um bárbaro da cor do Hulk). As magias também têm efeitos diferentes e bem legais.

Embora esse ponto mereça destaque, é algo que não faz diferença em 90% do tempo. Na primeira vez que você vê o bárbaro fazendo a animação do ataque com o machado você pensa: “wow, que foda!”, mas dez segundos depois aquilo já se torna normal e você nem lembra mais. Tudo bem que depois você encontra um monstro novo e repara na animação novamente, mas o ciclo se repete. Só pra lembrar, isso não é um defeito, é algo meio inevitável e esperado.
Tem alguns pequenos problemas na questão dos gráficos: tem alguns itens bem feios (sem detalhes), alguns com sprites repetidos (completamente iguais) e outros que só mudam a cor. Mas isso deve ser mudado com o tempo. Uma outra coisa que me incomodou (apesar de ser bobagem) é que o rosto dos NPCs não recebeu tanta atenção assim. Tem uns bem estranhos, tipo esse:

é benino ou benina?

 


A ILHA INICIAL

Eu sei que são jogos diferentes e com propostas diferentes, mas só nesse ponto eu queria fazer um comparativo com o Tibia das antigas.
Antigamente, ao criar um char e começar a jogar em Rookgard, você só precisava de uma coisa pra ir pra main: pegar level 8. Você não era obrigado a explorar a ilha, fazer quests e nem nada do tipo. Embora rook seja tão marcante pro jogo a ponto de algumas pessoas nunca saírem de lá, temos de convir que ela não preparava completamente os jogadores pro que viria em main. E o que isso tem haver com Bloodstone? Temos o mesmo problema: a ilha inicial não prepara o jogador pra nada.


Você precisa fazer algumas quests pra conseguir sair, mas todas elas consistem em pegar um item e entregar pro npc. Em quatro delas são itens que dropam de criaturas, e em uma você precisa de um item que está num baú. Isso cria um problema: o jogo tem muita coisa que você precisa aprender, e o tempo que devia te preparar pra essas coisas é gasto com tasks que não acrescentam em nada pois são todas iguais. Eu vi casos de players level 7 que não sabiam como usar magias, por exemplo. Por que não adicionar um diálogo ou uma pequena missão que te ensina como fazer isso? Além desse tem vários outros pontos que precisam ser explicados, como os sistemas de dodge, miss, durabilidade dos itens, pontos de habilidade… se os desenvolvedores resolveram colocar tudo isso presente desde o começo do jogo, seria sensato que a ilha inicial explicasse como funciona cada coisa (embora eu ache que seria melhor as criaturas low level não esquivassem de ataques, por exemplo).
E esse nem é o único problema nessa ilha: também tem a questão dos itens. Como o jogo tem 5 classes diferentes, você é apresentado a muitos itens que não tem utilidade pra você pois são exclusivos pra outra classe. Isso é realmente necessário pra quem ta começando no jogo? Pegar uns 20 itens diferentes e descobrir que só 2 deles são compatíveis com sua classe é frustrante – ainda mais considerando que não da pra vender a maioria deles na loja.


ROLEPLAY

Aqui ta a coisa que mais me decepcionou no jogo. Todos os diálogos são automáticos, abre uma janela e você clica na fala que quer. Embora isso seja uma tendência em muitos jogos atuais, perde aquele espaço de interagir com o NPC e tentar descobrir algo que ninguém mais saiba. Lamentável, infelizmente.
O mapa do jogo é completamente aberto, não começa escuro e você vai abrindo conforme anda. Então você sabe exatamente o tamanho de uma cave sem nem chegar perto, por exemplo. Isso corta e muito a experiência de quem gosta de explorar.

mesmo assim da pra se aventurar!


GAME / LEVEL DESIGN

O jogo tem alguns erros meio bobos de level design. Acontece de você estar explorando uma área com monstros level 18, por exemplo, e avançar mais no mapa e entrar numa caverna encontrar monstros level 12. Não faz muito sentido, mas acontece.
Também tem a questão do loot das criaturas. Não encontrei nenhuma delas que dropassem gold coins, apenas os famigerados “itens de criatura que podem ser vendidos no npc”. É mais realista? É! Eu acho legal? Sim! Mas de que adianta não deixar gold coins no loot de uma snake, se a mesma dropa uma armadura de cavaleiro real modafoca? Não faz sentido uma cobra dropar moedas, mas faz sentido ela estar usando uma armadura? xd
Um outro ponto tosco é o fato de ter 3 (três!) quests em main que pedem teias de aranha, apesar de não ter encontrado nenhum respawn delas nos bueiros ou nos arredores da cidade. Na ilha inicial não tem nenhuma quest, mas tem vários respawns de spider. Vai entender…

bugzinho bobo no nome de criaturas com acento

 


OUTROS

Em relação as classes, são cinco no total: guerreiro, xamã, mago, arqueiro e bárbaro. Eu joguei com as duas últimas e saí da ilha inicial com ambas.
Primeiro testei o arqueiro. A experiência foi boa e é bem divertido de jogar. Raramente levava algum dano das criaturas, então em nenhum momento fiquei perto de morrer ou em perigo. O dano é razoável. A única ressalva é a questão das flechas: você inicia com uma quiver(aljava) com 1000 delas. Embora inicialmente pareça muito, é comum errar ataques ou o monstro se esquivar, então elas acabam antes de você sair da ilha. A magia “create arrow” só criava 30 por vez e tinha um CD altíssimo (5 minutos, acho). Por sorte, alguns monstros dropavam flecha, e como as outras classes não usam, eles jogavam no chão. Em main isso se tornou um problema, que me fez ir testar outra classe.
Como queria algo melee, fiquei em dúvida entre guerreiro e bárbaro. Optei pela segunda opção e não me arrependi: embora só tivesse uma skill de ataque, ela dava um dano muito alto , dificilmente tomando KS pra outro jogador (o loot fica pra quem dá mais dano). Ao contrário do arqueiro, nesse aqui era comum perder bastante vida enquanto caça, tornando difícil enfrentar duas ou mais criaturas ao mesmo tempo, mas a magia de cura era satisfatória e dava pra levar. Saí da ilha inicial em metade do tempo do arqueiro, mas novamente enfrentei um problema em main: as criaturas de lá batiam muito no melee, e o único lugar que dava pra caçar (os bueiros) estavam lotados de gente/PKs.

Queria ter testado os magos, vi alguns na minha faixa de level matando monstros bem fortes, mas não deu tempo: deixei pra outro dia e o TS acabou 🙁

Sobre o PVP, eu não testei muito. É difícil atacar algo que corra quando você está jogando com um bárbaro ou cavaleiro, então nem arrisquei (apesar de terem tentado me matar mais de uma vez). Claramente mago é a classe mais OP, tem até reclamação no fórum sobre estar desbalanceado. Tinha muito PK em time no server supostamente “testando o PVP”, mas quatro pessoas level 15 atacando um jogadores level 7~8 não é um teste lá muito eficaz.

É difícil morrer no jogo. Isso se deve ao fato de que ambas classes ganham uma magia de cura no level 2 (e uma de dano no level 3), e pra completar ainda ganhar potions de hp/mana nas primeiras tasks. Eu não morri nenhuma vez em toda minha experiência, então por ai você tira o nível de facilidade da coisa.

Quanto a questão do som, aconteceu a mesma coisa que as animações: você escuta a música e pensa “olha, algo novo, legal” e depois de 30 segundos desliga porque não aguenta mais a música. Depois disso não ousei ligar o som novamente.

 


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Muita gente considera Bloodstone como uma cópia do Tibia. Vi uns dois comentários na página do Facebook dizendo que o jogo “trazia a mesma sensação de jogar o tibia de 2004-2005”. Sinceramente? Além da perspectiva gráfica a única coisa que tem de parecido é a sensação de não saber o que tem pela frente, de entrar num bueiro e ter um monstro que você nunca viu… essas coisas. Do contrário, Bloodstone é completamente diferente do jogo da Cipsoft, com vários sistemas únicos, e considerando as coisas que ainda estão em desenvolvimento(como o sistema de multiclasses), ele não pretende ir pelo mesmo caminho. O único problema é que o jogo que tem tantas coisas grandiosas, peca sempre nos pequenos detalhes. Só resta esperar até o lançamento (ou o próximo TS) e ver se consertam esses pequenos erros 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA

Favor comente aqui!
Favor insira seu nome aqui

Comentários
  1. Skiann Torphyx
    Difícil, afinal, o dono desse ot é o dono do antigo I.b.o.t
    Aliás, para quem joga tibia e sofreu com os botters por anos, não acho boa ideia dar grana para esse cara, afinal, foi ele que causou tantas dores de cabeça para os tibianos honestos.

    Só para curiosidade: ele também já foi o top sorcerer e top level br. O famoso Tripida rushador .
    Guest
    que post tendencioso, longe de ser uma noticia imparcial... gosto é gosto
    Guest
    Faz um \"Ainda vale a pena jogar tibia?\" provavelmente vai ter muitos outros pontos negativos pra mostrar. O principal deles é o pay to play.
    Nessas duas materias podemos ver claramente o desespero que já existe devido a evasão de jogadores do tibia. Foi a própria staff do jogo que acabou com ele. Já eras. Saudades 8.0
    Guest
    se o dono do jogo é criador de bot,bom apoio totalmente a ideia de alguem desenvolver um bot igual ou tao fdp quanto foi o bot desse cara no tibia,isso serviria para ele sentir na pele.Apesar que é capaz que ele nao ligue,ja que o importante seria ter players onlines pagantes...Enfim,fora isso concordo com a parte do mini-map que realmente poderia ser ao estilo do tibia,esse negocio do loot tambem ajudaria porque a maioria dos MMORPGs que joguei(ou todos que joguei) os bichos dropavam alguma quantia de gold,salvos aqueles bichos \"inuteis\" tipo guaxinim,porco etc nao deixavam gold.Atualmente o jogo encanta pelo grafico e por ser algo novo,mas com poucas horas voce ja fica de saco cheio porque é mais do mesmo ou ainda falta coisas basicas pra melhorar.Enfim,apenas o tempo dira se o game valera ou nao apenas,mas na minha opiniao depois de lançado oficialmente o game nao durara mais de 2 anos.